Medicina do Viajante

– A indispensável mala.

Depois de muitos preparativos é chegada à hora de fazer as malas e realizar a sua viagem. Quer seja a trabalho ou a lazer, a Conhecer Turismo, deseja que você não seja prejudicado por problemas que estamos, todos, sujeitos a enfrentar, mesmo porque, muitos deles podem ser prevenidos e evitados.Preparamos para você dicas importantes que irão ajudá-lo, para que sua viagem lhe reserve somente surpresas agradáveis…
Lembre-se, a consulta ao seu médico antes da viagem pode ajudar a evitar muitos dos problemas em viagem.
Preparando sua viagem:
O preparo para uma viagem a trabalho ou lazer, passa obrigatoriamente por alguns cuidados anteriores. A começar pela informação. Em relação à saúde, o primeiro passo está mesmo na busca de consulta com um profissional médico pois recomenda-se que as pessoas procurem orientação médica especializada pelo menos um mês antes de embarcar, pois é sempre necessária atualização das informações e até mesmo de algumas vacinas.
A avaliação clínica pode ser feita por um médico de confiança, até porque as estatísticas mostram que o maior motivo de morte entre viajantes são as doenças cardiovasculares (49%), seguidas dos traumas (25%), causados principalmente por acidentes de trânsito e afogamentos.
Apesar disso, há outros riscos que podem atrapalhar sua viagem. E são eles que tornam útil a orientação de um especialista em Medicina do Viajante.
Passo a passo para uma Viagem com saúde:
Informe-se sobre o local para onde quer ir e, pelo menos, um mês antes de partir, passe por avaliação médica especializada e check-up odontológico.
Verifique a cobertura de seu plano de saúde no exterior e preencha a última página do passaporte com os dados da pessoa a ser avisada em casos de emergência. Alguns países europeus estão exigindo a comprovação de cobertura de plano de saúde.
Caso seu plano de saúde não assegure cobertura internacional, procure contratar um seguro saúde com cobertura médica, hospitalar, odontológica, medicamentosa e até jurídica, para o período de sua viagem. Além de eficientes esses planos não são caros.
Antes de viajar converse com seu médico para obter orientações sobre medicações a serem levadas em caso de necessidade. Deve-se ter o cuidado de portar quantidades a mais de remédios de uso crônico, devido à possibilidade de imprevistos e dificuldade de comprá-los em outros países. Esse tipo de medicação deve ter as prescrições em inglês, preferencialmente.
Se o voo for muito longo, movimente-se durante a viagem para melhorar a circulação sanguínea e evitar a formação de coágulos nas pernas – a trombose venosa profunda.
Uma vez em seu destino, tome cuidado com animais silvestres, peçonhentos e até domésticos, sobretudo se levar crianças.
Respeite os limites naturais: esteja pronto para enfrentar mudanças bruscas de temperatura e mudanças de fusos horários. Use protetor solar invariavelmente e tenha cuidado com altitudes. Informações específicas e maiores detalhes no site Viagem com Saúde.
Não pratique atividades esportivas sem preparo e equipamentos adequados, a exemplo de natação, mergulho e alpinismo.
Em um país de mão invertida no trânsito – como Austrália, Japão, Índia e Inglaterra -, não dirija sem antes passar por um período de adaptação.
Falando nisso, conheça e respeite as leis e costumes locais.
Procure ter à mão endereços e telefones das representações diplomáticas do Brasil mais próximas na(s) cidade(s) que visitar.
Fontes: Jessé Reis Alves (Fleury) e Fernando Martins (Cives-UFRJ).
Vacinação do viajante
O que é uma vacina?
Uma vacina é uma substância derivada, ou quimicamente semelhante, a um agente infeccioso causador de doença. Essa substância é reconhecida pelo sistema imunológico do indivíduo vacinado, o que desperta uma resposta que o protege de uma doença associada ao agente. A vacina, portanto, induz o sistema imunológico do ser humano a reagir como se tivesse realmente sido infectado.
Principais vacinas disponíveis aos viajantes no Brasil:
Febre amarela
Febre tifoide
Cólera
Hepatite A
Hepatite B
Raiva
Poliomielite
Difteria e Tétano
Sarampo, Caxumba e Rubéola

– Vacinas Rotineiras

A consulta médica pré-viagem é uma ótima oportunidade para atualizar o calendário vacinal.

– Vacinas obrigatórias

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, as imunizações exigidas são:
– Febre amarela
– Em alguns lugares, a vacina meningocócica
Vacinas recomendadas
– Hepatite A
– Febre Tifóide
– Endefalite japonesa
– Meningite Meningocócia
– Cólera

CERTIFICADO INTERNACIONAL

O Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) comprova a vacinação contra a febre amarela. Sua apresentação tem sido uma exigência para os viajantes que se deslocam de um país considerado endêmico para este doença para países não endêmicos mas que tenham infestação pelo mosquitos transmissores da Febre Amarela.
O viajante deverá ser vacinado no mínimo 10 dias antes de sua viagem para estar protegido contra a febre amarela. Essa vacina terá validade de 10 anos, devendo ser novamente administrada após 10 anos se houver risco de nova exposição.
Obs.: A validade do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) corresponderá ao tempo de validade da vacina.
Onde conseguir o certificado:
No momento da vacinação, o viajante receberá o Cartão Nacional de Vacina, válido apenas no Brasil. Para realizar a troca do Cartão Nacional de Vacina pelo CIVP, o viajante deverá procurar os Centros de Orientação ao Viajante da ANVISA em portos, aeroportos e fronteiras, com:
* Cartão Nacional de Vacinação preenchido corretamente, nome, fabricante e lote da vacina, data da vacinação, assinatura e nome do vacinador e identificação da unidade de vacinação;
* Documento de identidade oficial com foto.
* Para menores de idade é necessária a apresentação da Certidão de Nascimento;
* A emissão do CIV pela autoridade sanitária estará condicionada a assinatura do viajante.

* O que fazer um viajante impedido de tomar a vacina contra a febre amarela?
O Viajante que não puder receber a vacina contra febre amarela por orientação médica, deverá procurar um posto da ANVISA em portos, aeroportos e fronteiras para receber o Certificado de Isenção de Vacinação (CIV). A validade desse certificado será estipulada pelo profissional médico.
Para a emissão do CIV a autoridade sanitária exigirá do viajante:
* Documento de identidade com foto.
* Atestado médico onde conste o nome do viajante e o motivo da contra-indicação para o recebimento da vacina contra febre amarela, com o carimbo do médico (nome e CRM) e assinatura.
* A folha do atestado médico deverá conter os dados do consultório do profissional médico como: endereço completo, telefone, nº. do CRM e CPF.