Nacionais - João Pessoa

O que fazer - geral

João Pessoa é capaz de misturar diversas belezas em uma única região: patrimônio histórico, praias paradisíacas e uma belíssima área verde. As praias são donas de um mar no tom azul-turquesa e decoradas com piscinas naturais. Mesmo possuindo o título de capital, João Pessoa guarda um quê de cidade do interior. Não só pela tranqüilidade, mas pelo seu aspecto conservado, por sua gente hospitaleira, sua excelente gastronomia, seus hotéis que atendem a vários tipos de público e por sua temperatura nordestina.

*Estado: Paraíba

*Idioma: Português

*Clima: Intertropical

*Temperatura: 26ºC

*Moeda: Real

*DDD: 83

Distâncias:

*São Paulo – 2.770 km

*Brasília – 2.245 km

*Salvador – 949 km

*Recife – 120 km

 

Dicas

O destino

Quatro séculos de história para contar…

A história de João Pessoa começou no final do século XVI. A cidade foi fundada no dia 4 de novembro de 1585 com o nome de Filipeia de Nossa Senhora das Neves, em homenagem ao Rei Felipe II da Espanha. Desta época até hoje, a cidade recebeu outros nomes como Frederica (em homenagem ao príncipe de Orange, Frederico Henrique) e até mesmo Parahyba do Norte, por causa do principal rio que atravessa o estado.

No entanto, depois de diversas denominações, enfim a cidade recebeu o nome atual, uma homenagem ao político paraibano João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque. Ele foi assassinado no dia 26 de julho de 1930, no Recife, na época em que era governador da Paraíba. O fato trouxe grande comoção popular e foi um dos principais motivos para que houvesse a troca do nome da cidade, além de ser o estopim para a Revolução de 1930.

João Pessoa, muitos anos de cultura

Em quase 450 anos de história, muita cultura se acumulou nesta região. João Pessoa possui um calendário repleto de festas populares, folias de rua e comemorações religiosas. Ano após ano, o fluxo de turistas aumenta principalmente na época do Réveillon, quando a orla local prepara show de fogos e espetáculos exclusivos.

Outro atrativo é a Festa de Nossa Senhora das Neves, a mais tradicional de João Pessoa. É no dia 5 de agosto que se comemora a importância da padroeira para o povo paraibano, um costume em reverência a santa que segue há tempos. No quesito cultura, a cidade de João Pessoa vai bem, obrigada. Lá, o turista pode se encantar com o melhor do artesanato, como as peças feitas de algodão colorido, as joias confeccionadas em ossos de boi, os artefatos de couro e cerâmicas em geral.

Atrações

Praia, cultura ou história? João Pessoa tem de tudo!

A orla arborizada já nos adianta um pouco sobre as belezas que as praias oferecem. Repleto de cenários paradisíacos, o litoral de João Pessoa divide-se em três partes: as praias urbanas, as do litoral sul e as do norte. As localizadas na região urbana são as mais conhecidas e frequentadas pelos turistas. É na Praia de Cabo Branco, que os moradores e turistas se reúnem para caminhadas e passeios de bicicleta pela orla, repleta de falésias que chegam aos 40 metros de altura. De norte a sul, vale a pena conhecer as praias de Tambaú, Manaíra, Bessa, Jacumã e Tabatinga.

Ao sul, as praias são mais selvagens e naturais, como a paradisíaca Praia de Coqueirinho, um típico lugar para quem quer fugir da agitação. Por fim, as praias mais ao norte são as preferidas dos surfistas por terem ondas perfeitas para a prática do esporte. Uma das mais conhecidas do litoral sul é Tambaba, no município de Conde, reconhecida como a primeira praia oficial de Naturismo de todo o Nordeste. Até mesmo quem não é adepto à prática, acaba não resistindo às belezas da praia, esculpida por falésias e águas cristalinas. No entanto, a paradisíaca Tambaba possui também um trecho dedicado àqueles que não são nudistas e queiram aproveitar as paisagens de lá. Vale a pena conhecê-la!

Mata Atlântica em plena capital. Isso existe?

Com toda a preservação que há por trás da capital paraibana, os parques, praças e tantas outras reservas não ficariam de fora das atrações da cidade. João Pessoa é dona da segunda maior reserva de Mata Atlântica em área urbana, o chamado Jardim Botânico Benjamim Maranhão.

Antes, a região de quase 500 hectares era conhecida como Mata do Buraquinho, mas teve seu nome alterado em 2000. Se o destaque de João Pessoa é o verde por todos os lados, é no jardim botânico da cidade que grande parte desta natureza local mora.

O Parque Sólon de Lucena também se destaca como reserva de Mata Atlântica em plena capital. Com jardins projetados pelo conceituado paisagista Burle Marx, o parque possui até mesmo alguns animais como tamanduá-mirim, cotia, raposa, preá, preguiça, borboletas, cobras e pássaros (pica-pau, sabiá, anu-preto e jacu).

O terreno, na verdade, era um antigo sítio de jesuítas e possuía bosques e lagoas. De fato, a paisagem continuou a mesma, muito preservada. O destaque vai para os imensos bambuzais e palmeiras imperiais que mantiveram suas características originais. O local é tombado pelo Patrimônio Histórico e hoje é um dos cartões-postais mais conhecidos de João Pessoa.

COMO CHEGAR:

JARDIM BOTÂNICO – End. Avenida Pedro II, 01 antiga

PARQUE SÓLON DE LUCENA – End. Rua Parque Sólon de Lucena, s/nº, Centro

Gastronomia

O mar está para peixe em João Pessoa!

João Pessoa é conhecidíssima por sua gastronomia. Por ser praiana, a cidade faz jus ao tradicionalismo de levar à mesa todas as delícias vindas do mar. Ingredientes como camarões, polvos, lulas e muitos outros frutos do mar são frequentes nos cardápios paraibanos. Lá, o turista pode comer bem e barato nos aconchegantes quiosques de praia. Iguarias como caldinho de caranguejo, pratos a base de camarão e peixada são os preferidos dos visitantes.

A Paraíba como bom estado nordestino não nega suas raízes. Por este fato, a cozinha leva os temperos e ingredientes costumeiros como carne-de-sol, de bode, macaxeira, arroz de leite, o queijo coalho e feijão-de-corda. A macaxeira é uma das iguarias mais comuns nas terras nordestinas. Conhecida em outras regiões como aipim e mandioca-doce, a delícia quando frita ou cozida se torna uma ótima combinação para a carne-de-sol.

A hora da sobremesa é simplesmente irresistível: além da rapadura e da saborosa tapioca recheada, conhecidas em todo nordeste, ainda existem outras delícias locais, como o alfenim , um doce típico feito de massa de açúcar em diversos formatos. Experimente também o “nego bom”, bananas caramelizadas com açúcar, capazes de fazer qualquer um se deliciar com o quitute.

ONDE COMER

SAGARANA

Fez sucesso na capital paraibana na década de 90 e reabriu as portas em 2008. Vende pratos bem elaborados, usando ingredientes típicos da região. Oferece também uma boa carta de vinhos. ENDEREÇO: Av. Cabo Branco, 3056.

PICUI PRAIA

Serve pratos típicos da culinária nordestina, principalmente frutos do mar. ENDEREÇO: Av. João Maurício, 1395.

MANGAI

Esta famosa rede de restaurantes também está presente em João Pessoa. ENDEREÇO: Av. Edson Ramalho, 696.

RESTAURANTE FELLINI

Cozinha italiana para quem não dispensa uma massa, mesmo longe de casa. ENDEREÇO: Av. Cabo Branco, 1781.

RESTAURANTE TÁBUA DE CARNE

Experimente os pratos que levam carne-de-sol. Há também boas opções com filé mignon, cordeiro, frango e peixes. ENDEREÇO: Av. Rui Carneiro, 648.

Observação: As dicas são apenas sugestões, a CVC não se responsabiliza pelos preços e serviços prestados pelos estabelecimentos.

Compras

João Pessoa oferece uma infinidade de produtos. Tem cerâmica, renda, couro…

Na hora de fazer as compras, João Pessoa oferece inúmeras opções ao turista que quer levar lembranças da cidade. Em relação aos artesanatos de outros lugares do país, Paraíba está numa posição de destaque, pois consegue mesclar em seus artefatos toda a história do estado e as diferentes técnicas de produção.

Nas feirinhas regionais de João Pessoa, o turista encontra desde objetos de decoração – redes, bordados, mantas – até pequenos souvenirs, como cangaceiros feitos de argila. Para quem quiser inovar, a dica é comprar as joias confeccionadas em ossos de boi, feitas por inúmeros artesãos distribuídos pelos quiosques da orla no Farol do Cabo Branco.

UM VERDADEIRO ARCO-ÍRIS DE ALGODÃO

Alguns brincam que a Paraíba oferece um verdadeiro “arco-íris de algodão” aos turistas. Quem nunca viu algodão colorido, a não ser o tradicional algodão doce da infância, irá se encantar quando for à Paraíba. O algodão geneticamente colorido é um dos diferenciais do estado e é visto na cor verde, marrom e bege. Na capital paraibana são poucas as lojas que vendem as peças produzidas com o aval da Embrapa.

Entre os produtos à disposição do turista, destaque para os tapetes, toalhas, roupas, acessórios e redes. Além de lindas e diferentes, as peças produzidas com o algodão geneticamente colorido não causam alergia, não poluem e não desbotam. Um presente perfeito que irá surpreender qualquer um que recebê-lo.

ONDE COMPRAR

MERCADO DE ARTESANATO PARAIBANO

Bom lugar para compra bordados em rendas, colares e brincos artesanais, redes, objetos de decoração e muito mais. ENDEREÇO: Av. Sen. Ruy Carneiro, 241.

SHOPPING TAMBIÁ

Como toda grande capital, João Pessoa também tem shopping centers, que oferecem conforto e segurança na hora de comprar. Além de 150 lojas, o Tambiá também tem cinemas e Praça de Alimentação. ENDEREÇO: R. Deputado Odon Bezerra, 184.

TERRA DO SOL

Comercializa artigos para casa e decoração, feitos a mão por artesãos paraibanos. Vale a pena conferir as mantas, redes, tapetes, jogos americanos que vão levar um pouco da paraíba para o seu lar. ENDEREÇO: Rua Coração de Jesus, 145.

FEIRINHA DE TAMBAÚ

Funciona durante a noite e é um bom lugar para experimentar os quitures nordestinos, como a tapioca, cocada, rapadura. Por ser o ponto de encontro dos jovens da cidade, a região tem muitos bares e casas noturnas. ENDEREÇO: Rua Coração de Jesus.

Observação: As dicas são apenas sugestões, a CVC não se responsabiliza pelos preços e serviços prestados pelos estabelecimentos.

curiosidades

Conheça um pouco mais da cidade

CENÁRIO DE TV

Não é de hoje que o cenário paradisíaco de João Pessoa é um dos atrativos para as emissoras de televisão. Em 2004, a maravilhosa orla de Tambaú foi pano de fundo para a novela global Celebridade na lua-de-mel do casal Tânia Nascimento e Fernando Amorim, interpretados respectivamente por Lavínia Vlasak e Marcos Palmeira. Durante uma semana, as gravações percorreram pontos turísticos como o Mercado de Artesanato da Paraíba, o Farol de Cabo Branco, Centro Histórico, Teatro Santa Roza, Praia do Jacaré, Igreja de São Francisco, Areia Vermelha e Forte de Santa Catarina, entre outros. E para fechar a filmagem com chave-de-ouro, os atores globais ainda deram uma passadinha por Cabedelo.

A FAMA DE ARIANO SUASSUNA

Por falar em televisão, é imprescindível citar o talento de Ariano Suassuna, dramaturgo, poeta e romancista brasileiro. Nascido em João Pessoa, em 1927 (época em que a capital ainda se chamava Cidade de Parahyba), Suassuna é autor do sucesso “Auto da Compadecida” e “A Pedra do Reino”. Regionalista por natureza, ele faz questão de enfatizar os cenários de sua terra em cada obra produzida. Em “Auto da Compadecida”, por exemplo, ele retrata situações peculiares da cultura nordestina, fazendo uso da literatura de cordel. Sucesso nacional, a obra foi adaptada para minissérie e filme, levando a magia dos costumes do Nordeste para a telona. O longa-metragem foi gravado na cidade de Cabaceiras, localizada a cerca de 200 km de João Pessoa.

ÁRVORES E MAIS ÁRVORES

Em mais de quatro séculos de existência, a cidade tem muito que contar. Às margens do Rio Sanhauá, um dos diferenciais de João Pessoa é a grande conscientização em relação à natureza. Para se ter uma idéia, a capital paraibana é uma das que tem a maior área verde preservada de todo o mundo. O fato foi suficiente para lhe presentear com o título de “Segunda cidade mais arborizada do mundo”, perdendo apenas para Paris. Os moradores e a prefeitura preservam a orla pessoense com muito cuidado. Há uma legislação, inclusive, limitando a altura dos prédios naquela região. O governo também está dando cada vez mais apoio ao turismo, tímido ainda, mas com grande fluxo de visitantes todos os anos.

PROIBIDO CARROS E PRÉDIOS. RESPEITE!

Quando o relógio mostrar 5h da manhã: é a hora da caminhada! Para realizar esta costumeira tradição – acredite! – a circulação de carros é proibida! Das 5h às 8h da manhã, o trânsito é fechado na orla paraibana para que as pessoas possam andar de bicicleta ou então praticar o cooper de todo dia. A princípio, a iniciativa abrangia apenas as regiões principais como Cabo Branco, Tambaú e Manaíra.

No entanto, a proposta vinda dos próprios moradores deu tão certo que, até mesmo, os bairros históricos adotaram a “lei”. Por falar em orla, é indispensável comentar a preservação que há em João Pessoa. Prédios com mais de três andares não podem ser construídos na via que costeia a região. Há uma escala que especifica a quantidade de andares de acordo com a localização da rua.

Apenas três edifícios não estão conforme a proposta sugere. As construções foram erguidas antes da década de 1980, quando a ocupação se dava apenas no centro e a orla era para veranear. Tal iniciativa nas construções vem sendo bastante aceita pelos moradores que a consideram uma ótima forma de preservar a ventilação da cidade.

Unfortunately there are no hotels at this location at the moment.

Unfortunately there are no self-catering offers at this location at the moment.

Unfortunately there are no tour offers at this location at the moment.